Por: (Arte Metal)

De Colônia, os alemães do ATRIUM NOCTIS chegam ao seu quarto disco de estúdio mostrando uma evolução natural que dignifica ainda mais seu trabalho. Principalmente pela aposta da banda em mesclas de estilos que exigem riquezas nos arranjos e muita criatividade.

O foco do trabalho é o Black Metal, mas houve-se muito mais em “Aeterni”. Principalmente referências que passam pelo Dark e Symphonic Metal, com um trabalho que transita por climas obscuros, vampirescos e também um tanto quanto melancólicos em alguns momentos. Notamos em algumas passagens instrumental a influência do Folk, mas é bem rápida e leve.

Músicas longas, cheias de variações rítmicas dão a tônica a um álbum de certa forma peculiar e que traz em seus arranjos sinfônicos de teclados influências e peças do compositor clássico tcheco Antonín Dvořák. Mas, tudo com linhas de guitarras bem elaboradas e uma cozinha que acompanha toda a complexidade das composições.

A banda também aposta em linhas vocais versáteis, afinal, o vocalista Hein transita pelo gutural, rasgado, acompanhado por linhas líricas femininas de Kalliope em alguns momentos. Ainda há narrações, pois as letras mostram histórias baseadas na escuridão, morte e fantasias, tudo bem na linha ‘dark’ da literatura.

A produção é bem orgânica, até demais para o estilo, já que algo mais bem lapidado deixaria as composições ainda melhores. Datura Noir, Leviathan e suas belas linhas de piano, a cheia de nuances atmosféricas Die Nacht des Falken, são os destaques. “Aeterni” é muito acima da média e diferenciado.

Atrium Noctis - Aeterni

Nota: 8,0

Tracklist:

  1. Datura Noir
  2. Zerberons Erwachen
  3. AD
  4. Leviathan
  5. AD II
  6. Die Nacht des Falken
  7. ADE

Links sobre a banda:

Site

Facebook

Vitor Franceschini

Jornalista graduado, editor do Blog Arte Metal.