Rhapsody of Fire – From Chaos to Eternity

  • Post author:

Peguem suas espadas e escudos! Subam em seus Pégasus! Chamem o maestro! Pois o que está em discussão aqui é o último trabalho do Rhapsody of Fire. E, quando você ouve Rhapsody, o que imagina imediatamente? Músicas na velocidade da luz, fritação guitarrística, teclados a saturação espalhados por toda parte, corais e mais corais, tudo embalado num clima épico, correto? Pois bem, é exatamente isso que pode ser encontrado nesse álbum.

Sem maiores novidades, o Rhapsody of Fire apresenta em dez faixas tudo aquilo que já são suas marcas registradas. Luca Turilli e Alex Staropoli continuam uma dupla de compositores extremamente afiada e entrosada, construindo grandes passagens épicas. Muito virtuosismo também pode ser, como sempre, ouvido em suas linhas instrumentais. A cozinha continua apenas fazendo figuração, com aquela bateria extremamente reta e sem graça, apenas fazendo chão para as melodias. Corais são usados em praticamente todas as faixas, tornando-se até cansativos. Certos artifícios precisam ser cuidadosamente usados, para não se tornarem cansativos. E vejo que o excesso de corais e teclados sinfônicos aqui estraguem um pouco a obra. Ok, eles são uma banda de Metal Sinfônico, mas, será que o estilo já não está saturado demais, após mais de uma década repetindo os mesmos vícios, sem inovações? Será que uma pessoa que não seja fã da banda notará muita diferença entre o primeiro e este trabalho da banda? Enfim, deixo a questão de lado e volto para a análise do CD.

O álbum é bonito, com uma arte gráfica bem simples, mas direta. Cavalos alados, reis e claro, muito fogo, podem ser encontrados no encarte. A produção das músicas também é de se salientar.Os destaques desse trabalho ficam para as faixas From Chaos to Eternity, que dá nome ao álbum, com um refrão extremamente grudento; Tempesta de Fuoco, que tem uma linha interessante de teclados em seu início; Anima Perduta, essa sim uma faixa diferente dentro do trabalho, uma balada muito bonita e cantada em italiano; Aeons of Raging Darkness, que me fez lembrar muito as passagens do Epica sem a Simone cantando; e, claro, a faixa Heroes of Waterfalls` Kingdom, um épico de vinte minutos, com direito a narrativa e efeitos sonoros.

Resumindo: se você é fã da banda e do estilo vai gostar bastante desse álbum, muito bem composto e produzido. Se você não se encaixa nos grupos sugeridos, fuja! Pois ele irá te soar extremamente cansativo e sacal!

Rhapsody of Fire - From Chaos to Eternity

From Chaos to Eternity – Nuclear Blast – 2011

Nota: 8,5

Tracklist:

01. Ad Infinitum
02. From Chaos to Eternity
03. Tempesta Del Fuoco
04. Ghosts of Forgotten Worlds
05. Anima Perduta
06. Aeons of Raging Darkness
07. I Belong to the Stars
08. Tornado
09. Heroes of Waterfalls` Kingdom
10. Flash the Blade (Iron Maiden cover – bonus track)

** O texto representa a opinião do autor e não a opinião do Portal do Inferno Webzine ou de seus editores.

Redação

Portal do Inferno é um site especializado em notícias do rock n roll ao metal extremo, resenhas, entrevistas e cobertura de shows e eventos!

Deixe um comentário