Summer Break Festival – Campo de Marte – São Paulo/SP

O Campo de Marte, em São Paulo, tem se provado um bom local para grandes eventos. Palco da apresentação do Megadeth e Black Sabbath, além do Planeta Terra Festival, o local recebeu, no último fim de semana, o Summer Break Festival, que trouxe as bandas Nem Liminha Ouviu, O Rappa, SOJA, Incubus e a Dave Matthews Band.

Dave Matthews Band
Foto: Camila Cara (T4F)

Apesar da ameaça constante de chuva (que no fim veio apenas como uma breve garoa forte e que logo passou), o que acabou atrapalhando o evento foram problemas técnicos como instrumentos inexistentes (no início d’O Rappa), falha elétrica (que atrasou o Incubus em 20 minutos) e os telões que vez ou outra sumiam ou apresentavam falhas.

Isso foi compensado pelas boas performances dos grupos durante o festival. O SOJA demonstrou ter um público fiel que, mesmo com as vindas recentes da banda ao País, chegou cedo ao local para aguardá-los. Do início com She Still Loves Me, até o encerramento com Everything Changes, o grupo empolgou os presentes que dançavam, pulavam ou agitavam suas mãos no ar a cada canção. Houve ainda espaço para uma batucada de samba que fez até com que funcionárias do evento que vendiam comida arriscassem uns passos no meio da plateia.

SOJA
Foto: Camila Cara (T4F)

O Rappa, que chegou a parar a primeira música do show por não ter o baixo audível, manteve o nível de animação e ainda homenageou o recém-falecido líder político Nelson Mandela. Os músicos Chorão e Champignon, do Charlie Brown Jr., também foram lembrados com a cover de Zóio de Lula.

O Rappa
Foto: Camila Cara (T4F)

Os 20 minutos de atraso do Incubus esfriaram um pouco os ânimos, mas fica o agradecimento ao respeito da produção em informar que houve um problema elétrico e que isso atrasaria o show, ao invés de simplesmente atrasar. Mas assim que Brandon Boyd e companhia subiram no palco, isso passou. O vocalista, aliás, continua a empolgar o público feminino que suspirou ainda mais quando ele arrancou a camiseta para cantar.

Canções como Anna Molly, Drive e Wish You Were Here foram cantadas por por boa parte do público e, durante as canções, ainda foi presenteado com pequenos trechos de Hello, de Lionel Richie, e I Want You (She’s So Heavy), dos Beatles, ao final de Pardon Me, música que encerrou o show.

Incubus
Foto: Camila Cara (T4F)

Encerrando a noite, a Dave Matthews Band veio comprovar o porquê ser um show de sucesso e a razão de vender tantos ingressos pelo mundo. Acompanhado de uma talentosíssima banda, Dave Matthews abriu a apresentação com Don’t Drink The Water e, a partir dai, por mais de duas horas e meia, empolgou o público com músicas como #41, What Would You Say e The Space Between.

Muitas das canções ganharam novos arranjos e eram extendidas com improvisações e duelos entre as guitarras de Tim Reynolds e os metais de Rashawn Ross (trompete) e Jeff Coffin (saxofone), ou solos do violinista Boyd Tinsley, que deu um show à parte. Tudo isso bem amarrado e amparado pela cozinha formada por Stefan Lessard (baixo) e Carter Beauford (bateria) e a contagiante animação de Dave Matthews que arriscava diversos passos engraçados de dança durante esses momentos.

Dave Matthews Band
Foto: Camila Cara (T4F)

Mesmo com o atraso, o festival terminou a tempo das pessoas utilizarem o transporte público (algo facilitado pela localização do evento bem próxima a duas estações de metrô e que aos sábados funciona por uma hora a mais). No fim, apesar dos problemas técnicos, o festival teve um saldo final positivo, com bandas que fizeram apresentações bem recebidas pelo público que, se não chegou a lotar o Campo de Marte, acabou superando expectativas e comparecendo em um bom número no local.