Falar que o Iron Maiden, tem um legião de fã no Brasil é chover no molhado, por que não afirmar a banda de heavy metal que mais tem fãs no Brasil.

Porque desde 85 quando a banda se apresentou pela primeira vez no país o público só aumenta, e o que se pode ver que a paixão pelo Iron Maiden, é passado de pai pra filho ou de mãe para filho vice versa, o que você vê hoje são famílias indo ao show do Iron Maiden.

Depois de se apresentar no Rock in Rio, onde a banda seria headline mas cedeu o posto para o Scorpions, mas isto não foi por acaso é um história antiga que vem da primeira edição do Rock in Rio, onde o Scorpions já era um febre mundial e o Maiden apenas um embrião. Mas como a internet e os fãs torceram o nariz, o Maiden com respeito ao Scorpions cedeu o lugar para o alemães, mas se a questão é história o por quê do Whistesnake, não estar no palco mundo também? Bem ai já não sei te responder?

Com o estádio já com muitos fãs The Raven Age, subiu ao palco como abertura para a Donzela, a banda que tem como guitarrista o filho de Steve Harris, já tem duas passagem pelo país abrindo shows para Maiden.

Diferente da banda se seu pai, George Harris, com o The Raven Age, faz um metalcore melódico um som mais moderno que agrada muito o público mais novo, apresentando nesta turnê músicas do seu novo álbum Conspirancy, banda vem ganhando muitos fãs por aqui pois diferente de 2016, podemos ver um público empolgado e receptivo com a banda tendo até estádio todo acesso com luzes de celular, diferente de 2016 desta vez a banda não teve o telão liberado acho que isto prejudicou a visão de quem estava longe mas tirando este pequeno deslize por parte da produção o show do The Raven Age, agradou.

Mas a noite como sempre é da Donzela, que nunca decepciona seus fãs desta fez trazendo a tour “Legacy of the Beast”, baseada no game lançado pela banda, o show dividido em três atos digamos assim, “guerra, céu e inferno”. Trouxe um Iron Maiden, muito mais teatral e cenográfico mas com um setlist com músicas que antes não faziam parte das tour´s.

A banda que começou o show com exibição do game no telão e depois seguiu para a música já tradicional de abertura “Doctor Doctor”. Já entrou no palco arregaçando com “Aces High” com um avião Spitfire, pairando sobre o palco Bruce, começou a artilharia e mostrou que aquele show não seria um simples show.

Seguido de Where Eagles Dare, esta que muitos esperavam ouvir pois não faz parte do setlist tradicional da banda, faz o palco ser tomado por neve e na sua sequência “2 Minutes to Midnight”, e como de praxe o discurso de Bruce, que falou “que tinha feito um showzinho no Rock in Rio, e que aquela noite seria somente do Iron Maiden”.  Discurso feito público aclamando “Maiden, maiden” – The Clansman, The Tropper – está com a primeira aparição do boneco Eddie, mascote da banda que continuou com duelo entre Bruce e o mascote, Revalations, For the Greater Good of God fecharam primeiro ato do show.

Não vou entrar na conversa de superação de Bruce com o câncer isto já são águas passadas o frontman já vem fazendo incríveis show de 2015 pra cá e todo este blá é só par encher linguiça. Bruce é um frontman incrível e não vai existir outro que vá supera – ló tão cedo.

“The Wicher man” abre o segundo ato do show da banda agora com a parte do céu, seguida de “Sing of the cross”, como “The Clansman”, músicas originalmente cantada por Blaze Bayle, ganharam destaque nesta tour, “Flight of the Icarus” já é um é um clássico do Donzela, mas desta vez veio com um bônus Icarus no palco e Bruce com uma bazuca de fogo.

Fim do segundo ato, luzes se apagam e se dá início a fase do inferno, “Fear of the Dark”, “The number of the beast” e “Iron Maiden” encerram a noite de apresentação do set de “Leagacy of the Beast”.

Mas como sempre tem o bis as três músicas finais ficaram com, The Evil That Men Do, Hallowed Be Thy Name, Run to the Hills.

É incrível ver uma banda de músicos com mais de 60 anos, Nicko, Steve com tanta energia e vibração para tocar suas músicas, Adrian com seus solos fantásticos, Dave nem se fala este é de uma calma que toca seu instrumento com tamanha maestria, Gers este como sempre ligado no 220v.

Como Bruce mesmo falou “Que fizeram um showzinho no Rock in Rio, e aquele seria um show do Iron Maiden”, realmente Bruce, foi um ótimo show do Iron Maiden, vocês estavam realmente felizes e soltos no palco.

Sem dúvidas este é um dos melhores setlist já montado por eles pois tem músicas de todas as faces da banda, além do set maravilhoso outro ponto máximo é que a banda cada vez mais aposta no lado do espetáculo sem deixar a música de lado. Com venhamos ir ao um show do Iron Maiden, não é ir ao um simples show musical e sim viver uma experiência de ir a um espetáculo.

Mas ainda espero ver uma tour com um setlist com músicas de lado B.

Já pensou?

Fernando Custódio Moreira

Só mais um ser humano que adora Heavy Metal. Stay Metal Heavy Metal Forever.