Sabe aquele show que você quer ver muito? Todos ficam empolgados pois é umas das maiores bandas da cena do metal mundial, mas ao mesmo tempo acho que muitos assim como eu não queriam que este dia chegasse nunca.

E ontem foi a vez de São Paulo, se despedir do Slayer, mas foi a noite do trocadilho “o início do fim”, início da Cachorro Loko Tour para Claustrofobia e a Final World Tour para o Slayer.

Claustrofobia a banda que já é conhecida do público underground agora vem angariando ainda mais fãs ao redor do mundo, ficou responsável pelo ponta pé inicial da noite, os thrasher´s  fizeram uma apresentação curta, porem impecável, apresentando 8 músicas mostrou o porquê sempre foram uma das banda mais promissoras do cenário do metal nacional, Marcus D’Angelo empolgou e instigou o público a todo instante para que se abrissem mosh (mesmo sabendo que a produção do evento proibiu).

Slayer que já soma 38 anos de carreira está fazendo agora a parte latina da sua tour de despedida dos palcos com o setlist recheado de clássicos de toda a carreira deixando de fora somente dois disco “Divine Intervention” e “Diabolus In Musica”.

O Slayer, está saindo de cena em grande estilo, pois a banda ainda tem muito gás, o público pode assistir um show energético e empolgante do início com toda a apresentação cenográfica da chuva de sangue e cruzes ficando invertida na cortina que cobria o palco até o fim da introdução que tocava nos PA´s, para assim se dar início a tempestade sonora e poder ver Tom Araya, com sua faceta singela e comunicativo que agradeceu a presença de todos, Kerry King, Gary Holt e Paul Bostaph outros 3 monstros. Gary que teve a importante missão de substituir o guitarrista fundador da banda Jeff Hanneman (falecido), a escolha perfeita para levar o legado do ex-guitarrista para frente.

Para quem já viu show do Slayer, a impressão que dá que nesta tour é que estão mais energéticos e raivosos, é impossível imaginar que uma banda deste porte vai sair de cena ainda mais com esta qualidade sonora, a voz de Tom, está ótima comparada a alguns medalhões que se apresentaram recentemente por aqui.

O público foi de lotação máxima da casa, 8200 pessoas vibraram, gritaram e tiveram umas das melhores apresentações do Slayer, a banda deixou o palco ovacionado de cabeça erguida com carimbo de melhor banda e thrash metal do mundo e o para o público do presente no Espaço das Américas fica na memoria este memento marcante do Slayer em solo Brasileiro, além da imagem do Tom Araya se despedindo de todos com a mensagem “vou sentir saudades”. Nós também Tom, nós também sentiremos, mas torcemos para uma pequena tour de reunião no futuro.

Setlist – Claustrofobia:

  1. Intro
  2. Swamp Loco
  3. Bastardos do Brasil
  4. Thrasher
  5. Vira Lata
  6. Pinu da Granada
  7. Metal Maloka
  8. Peste

Setlist – Slayer

  1. Repentless
  2. Evil Has No Boudaries
  3. World Painted Bloond
  4. Postmortem
  5. Hate Worldwide
  6. War Ensemble
  7. Gemini
  8. Disciple
  9. Mandatory Suicide
  10. Chemical Warfare
  11. Payback
  12. Temptation
  13. Born of Fire
  14. Seansons in the Abyss
  15. Hell Awaits
  16. South of Heaven
  17. Raining Blood

Fernando Custódio Moreira

Só mais um ser humano que adora Heavy Metal. Stay Metal Heavy Metal Forever.