Sodom – Carioca Club – São Paulo/SP

Sábado de Aleluia, um dia útil cercado por dois feriados nacionais, e dois grandes eventos de música extrema rolando na cidade, praticamente ao mesmo tempo. Um dia extremamente quente que nos fazia sentir como se toda a destruição sonora que aconteceria tivesse atraído o próprio inferno como pano de fundo. E foi nesse clima que o Carioca Club recebeu a lenda do Thrash Metal Sodom, contando com a abertura das bandas Red Front e Machinage.

Infelizmente, devido a uma sequência incomum de contratempos, não foi possível chegar ao local a tempo de pegar o show do Machinage. Assim que adentrei a casa, a banda anunciou o fim do show. Não foi possível sequer fazer alguma imagem para ilustrar a matéria. Ficamos em débito dessa vez.

Red Front

Na sequência, sobe ao palco a banda Red Front. Em forte evidência já a um ano, quando venceu a seletiva paulistana para o WOA Metal Battle, o Red Front faz um show totalmente característico e peculiar. Se auto intitulando “fanfarrões”, seus shows são permeados por ironias, piadas, algumas apologias discutíveis e, claro, muita, mas muita energia e garra! A impressão em alguns momentos é que nem eles mesmos se levam a sério, e é justamente aí que a mágica particular da banda acontece. Pois, no momento em que o show começa, a banda toma o palco de assalto de uma forma que chega a ser vertiginosa! Marq, Oscar e Marcelo formam a linha de frente das cordas, enquanto Leo segura urrando os vocais. O som é de uma agressividade invejável, porém executado de uma forma descontraída. Fato facilmente perceptível nas constantes caretas que Leo e Oscar fazem o tempo todo. Outro ponto salutar do show é o momento em que trazem ao palco seu tradicional “convidado especial”: Pe Lanza, vocalista da banda Restart, versão boneco. Sempre um discurso detrativo ao som e visual do citado, o boneco é oferecido ao público para que uma “amigável” destruição do mesmo seja feita. Muitos criticam, mas o fato é que é engraçado! Destaques do show para o cover de Territory, do Sepultura, e Circle to Hate, a música que encerrou o show, onde Leo armou um Wall of Death com os presentes, com Oscar descendo do palco, atravessando a pista pelo vão aberto e terminando de executar a música no meio do público. Um show divertido, pesado e agressivo.

Red Front

Ao final do show do Red Front, podia-se perguntar sobre o êxito do evento, já que a pista estava tomada apenas em sua metade. Um telão foi colocado a frente do palco, enquanto o palco do Sodom era montado. E, como que por mágica, nos 40 minutos que separaram os dois shows, talvez pela data, o milagre da multiplicação aconteceu! (rs) Assim que a intro mecânica começou a se fazer ouvir, a pista já estava tomada em sua totalidade. Um número enorme de fotógrafos preenchiam o pit a frente do palco. E ali, finalmente, pode-se começar a sentir a força da lenda se fazer presente!

Sodom

E foi com In War and Pieces que o trio adentrou o palco. Formado hoje por Markus “Makka” Freiwald (bateria, desde o último álbum da banda, homônimo da primeira música executada), Bernd Bernemann (guitarra, posto que ocupa desde o álbum Til Death do us Unite, de 1997) e a legenda Tom Angelripper (membro fundador, baixo/voz), o que se viu por pouco mais de 1h30 foi um Trash Metal rápido, agressivo, muito bem executado e devastadoramente envolvente! O que mais chamava a atenção durante toda a apresentação era a nítida alegria e satisfação que o trio demonstrava em estar ali, diante daquele enlouquecido público. O sorriso na face de Bernemann não desmontou por um segundo sequer! Tom, sempre que possível, se comunicava com o público, interagindo de uma forma que todos mantinham o calor infernal dentro da casa sempre no máximo! Clássicos da banda como M-16, The Vice of Killing, Agent Orange e até um clássico de outra lenda, Iron Fist, do Motorhead, fazia com que o público presente agitasse e enlouquecesse sem trégua! Rodas podiam ser vistas o tempo todo, assim como muitas cabeças batendo por toda a pista. E com uma olhada um pouco mais detalhada, era possível perceber também que aqueles sorrisos vistos no palco eram repetidos na platéia. Após a execução da citada Agent Orange, a banda sai do palco e volta logo em seguida, para executar Remember the Fallen e encerrar o show com Sodomized.

Sodom

Casa lotada, imprensa comparecendo em peso, uma lenda fazendo um verdadeiro show e um público enlouquecido o tempo todo. Mesmo o setlist tendo sido (segundo informações) um pouco menor que no dia anterior, em Curitiba, acredito que todos tenham saído felizes do Carioca. Angelripper se portou como uma verdadeira lenda viva: sem frescuras, estrelismos e com muita humildade e simpatia. Seus companheiros completaram a excelência musical e a latente simpatia. As bandas de abertura compuseram o contesto. Uma “matinê” devastadoramente incrível!

Setlist Red Front:

Institution is Down
Just a Game
Devil’s son
Territory (cover Sepultura)
Killer (com o boneco Restart)
Circle of Hate

Setlist Sodom:

In War and Pieces
Sodomy and Lust
M-16
Outbreak of Evil
The Bird is The Word – Trashman cover
The Saw Is the Law
Iron Fist – Motörhead Cover
The Vice of Killing
The Art of Killing Poetry
City of God
Blasphemer
Eat Me!
Ausgebombt
Agent Orange
Remember the Fallen
Sodomized

Clique aqui para ver todas as fotos deste show!

Portal do Inferno

Portal do Inferno é um site especializado em notícias do rock n roll ao metal extremo, resenhas, entrevistas e cobertura de shows e eventos!

Deixe um comentário