Copa do Metal (Grupo F)

  • Post author:
  • Post published:11 de dezembro de 2017

 

Se a copa de 2018 possui um grupo da morte, esse grupo certamente é o F. Ao menos é o mais próximo disso. Com Alemanha, México, Suécia e Coreia do Sul, alguns dos confrontos mais difíceis da primeira fase ocorrerão por aqui. E se o embate entre as seleções é pesado, com as bandas não poderia ser diferente. Confira abaixo o que encontramos sobre cada um desses países.

 

Confira os outros grupos da Copa do Metal:

(Grupo A), (Grupo B), (Grupo C),

(Grupo D), (Grupo E)

 

Alemanha

(Por Leonardo Cantarelli)

Ah, os alemães, the germans,i tedeschi, die deutschen…enfim, cada língua os chamam de um modo, mas indubitavelmente é um povo que o mundo todo admira.

Suas escolas que revelaram vários filósofos que influenciaram o modo de vida da nossa sociedade. Suas festas, ricas em cerveja e chucrutes (oktoberfes).Seus filmes densos e ricos em conteúdos.Suas belas cidades são exemplos de estrutura para todo o mundo.

O futebol e o heavy metal, claro, jamais ficariam de fora.

Um povo apaixonado pelo esporte mais popular e que em Copas do Mundo foi muito traiçoeiro com seleções que eram tidas como favoritas.

Seu primeiro título do principal torneio entre seleções veio em 1954. Um azarão diante da poderosa Hungria de Ferenc Puskas.

Os húngaros eram a grande sensação do futebol nos anos 50 e no Mundial realizado na Suíça tripudiavam seus adversários sem dó nem piedade. Na primeira fase enfrentaram os alemães e meteram 8 a 3.

O Nationalef no entanto chegou até a final e enfrentou novamente os húngaros e venceu  por 3 a 2.  Para muitos uma zebra o título alemão e até hoje os amantes do futebol lamentam o revés dos húngaros em Berna.

20 anos depois, o grande time que comandava o futebol era a Holanda. O carrossel holandês era liderado por Joyahn Cruyff e deixava os adversários ‘tontos’em campo. As trocas de posição, nos jogos, dos atletas dos países-baixos era constante (exceção ao goleiro) e os marcadores se perdiam durante o jogo.

A Oranje chegou favorita na decisão diante dos anfitriões do torneio, a Alemanha. No entanto, Franz Beckenbauer e Cia, se inspiraram em Fritz Walter e Cia em 1954,e bateram os arquirivais por 3 a 2. Festa alemã e um choque nos amantes do futebol.

Em 2014 a Copa foi realizada no Brasil. Os organizadores eram pentacampeões do mundo e queriam buscar o hexa e o primeiro título dentro de seus domínios.

O time de Luis Felipe Scolari era uma porcaria. Mas aos trancos e barrancos chegou a semifinal. O adversário era a Alemanha. O embate em Belo Horizonte/MG todos lembram. Um 7 a 1 engasgado até hoje no orgulho tupiniquim. Na final, os europeus bateram a Argentina e conquistaram o quarto título de sua história (o outro foi em 1990).

A Alemanha chega pronta na Rússia para buscar a quinta estrela. Tem o melhor time, um ótimo elenco e está entrosada. Tem plenas condições de buscar o título.

Já a música alemã sempre foi referência para o mundo. Para o rock e o heavy metal germânico quem abriu as portas foi o Scorpions no início dos anos 80. De lá surgiram vários grupos de Metal.

Tanto o Power Metal, como Speed Metal e o Thrash dos anos 80 são referências até hoje na cena headbanger.

Sem contar que o Wacken Open Air, localizado numa pequena cidade ao norte daquele país, é o maior evento de heavy metal do mundo. Uma meca para os fãs deste estilo que sempre querem estar lá ao menos uma vez na vida.

Para celebrar essa boa dose de Metal, futebol e cerveja nada como indicar o TANKARD.

O grupo faz um thrash metal old school, bebe muita cerveja e ama futebol. O vocalista Andrea Gerre foge do estereótipo que conhecemos dos alemães. Quem vai aos shows percebe que é um cara descontraído, amigável, fanfarrão e que adora tirar sarro do público. Como se fosse íntimo de todos.

Todos os membros da banda são torcedores fanáticos do Eintracht Frankfurt, clube da cidade natal do quarteto e são sócios-torcedores. No aniversário de 100 anos do clube, a banda compôs uma música chamada: ‘Schwarz Weiss wie Schnee’ e que até hoje é tocada nos estádios.

Confira neste clipe a canção :

 

México

(Por Flávio Diniz)

O México é conhecido por muitos motivos. A terra dos tacos, nachos, tequila, pirâmides e, claro, do Chaves e Chapolim. Além de ter sido neste país, mais especificamente na península de Iucatã, que um asteroide de mais de dez quilômetros de diâmetro chocou-se contra a superfície do planeta, criando uma cratera de 180 quilômetros de diâmetro e posteriormente dizimou a vida dos dinossauros no planeta. O país está localizado no anel de fogo ou círculo de fogo do pacífico. Essa região possui mais de 450 vulcões e aproximadamente 75% dos vulcões ativos do mundo. Além do meteoro, terremotos e vulcões, a capital mexicana, Cidade do México está afundando cerca de 20 centímetros por ano. A cidade foi construída sobre um lago e a informação preocupa autoridades e população, pois os riscos de enchentes aumentam a cada ano.

O maior campeão da Copa Ouro da CONCACAF conquista mais uma vaga para uma edição de Copa do Mundo. Os mexicanos foram a quinta seleção a se garantir no torneio a ser disputado na Rússia e a classificação veio com certa tranquilidade. Após vencer o Panamá pelo placar de 1×0, o país alcançou seu objetivo com três rodadas de antecedência. Será a décima sexta copa do mundo do México de um total de 21 edições. Suas duas melhores campanhas foram em 1970 e em 1986. Em ambos os casos, os mexicanos eram os anfitriões do evento e foram eliminados nas quartas de final. Com exceção dos anos em que não conquistou a classificação, os mexicanos também ficaram de fora do torneio realizado na França em 1938, devido a um boicote organizado pelas seleções sul-americanas ao continente europeu e em 1990 na Itália por ter sido desclassificada por utilizar jogadores acima da idade na disputa das eliminatórias para o Mundial sub-20 em 1988. O caso ficou conhecido como Escândalo dos Cachirules e todas as seleções do país foram banidas pela FIFA de competições internacionais por dois anos.

O técnico da seleção mexicana é o colombiano Juan Carlos Osório que comandou o time do São Paulo por apenas cinco meses em 2015, quando deixou o clube paulista justamente para assumir o comando dos latino-americanos. Osório deve contar em seu elenco com Guillermo Ochoa, goleiro que teve destaque na última copa do mundo, Carlos Salcedo que atua na Fiorentina, os atacantes Giovani dos Santos, Javier “Chicharito” Hernández e outros.

A banda escolhida para representar os mexicanos chama-se ACRANIA. Fundada em 2005 na Cidade do México, a banda certamente não passa despercebida, pois inova com uma mistura interessante de estilos. Seu som é basicamente um Thrash/Death Metal. A novidade, porém vem na influência do jazz latino. Trompetes, saxofones e bongôs juntam-se ao peso da banda. O resultado é diferente e de fato, muito interessante. Não é apenas uma junção maluca de instrumentos e estilos, tudo é muito bem construído. O baixo aparece com bastante destaque, ditando o ritmo com muitos grooves. Se você está procurando algo que foge do óbvio no metal, ouça ACRANIA sem medo. Abaixo, a música “People of The Blaze” do álbum “Fearless”, lançado em 2015.

 

 

Suécia

(Por Leonardo Cantarelli)

 

Dentre os chamados países nórdicos da Europa, a Suécia, sem dúvida é a que mais tem tradição no futebol e em Copas do Mundo. Os Blagults irão para a sua 12ª participação no torneio mais importante do mundo. Em 11 edições, acabaram chegando a quatro semifinais (1938,50,58 e 94) e em uma decisão , onde perdeu, em casa, para o Brasil em 1958, por 5 a 2.

É curioso notar como brasileiros e suecos se encontram em Copas do Mundo. Foram sete embates, com cinco triunfos dos sul-americanos e dois empates.Os suecos retornam à Copa, após duas edições ausentes. Nas Eliminatórias, os comandados de Jan Andersson tiveram que jogar a repescagem e de forma histórica despacharam a tetracampeã Itália. Os Azzurri não ficavam fora de um Mundial desde 1958.

No primeiro confronto,entre Auriazuis e italianos,em Estocolmo, os anfitriões venceram por 1 a 0. Na volta a peleja terminou sem gols.

O grande destaque dos suecos está aposentado da seleção : Zlatan Ibrahimovic. Nas duas vezes que o atacante tentou levar seu país para uma Copa acabou desclassificado. O futebolista do Manchester United havia anunciado que não defenderia mais as cores da Suécia.

A equipe conseguiu, por coincidência, uma vaga, sem a presença do atleta de 35 anos. Há um clamor nacional para que ele seja chamado para o evento na Rússia. Ele sem dúvida fará a diferença em um time bem montado, mas limitado tecnicamente. Com Ibra (em boas condições físicas), os suecos podem sonhar com um desempenho digno.

Já no Heavy Metal, as bandas nórdicas são consagradas no mundo todo. A Suécia, ao lado da Finlândia, são os países daquela região que mais tem grupos famosos e com fãs nos quatro cantos do planeta.

Falando apenas dos suecos, podemos citar desde o hard/glam (Crashdiet, The Poodles), passando pelo Death Melódico de Gotemburgo (Arch Enemy,Dark Tranquility, In Flames), pelo Heavy Melódico (Hammerfall), Viking Metal (Amon Amarth) e até o Black Metal (Bathory).Com certeza faltaram bandas nessa lista. Impossível lembrar de todas as renomadas.

O meu destaque vai para uma das mais lendárias: ARCH ENEMY

O grupo formado pelos irmãos Amott (Michael ex-Carcass e Cristopher) inicialmente contou com Johan Oliva no vocal e Daniel Erlandsson na bateria. Com esta formação foram lançados três álbuns clássicos: Black Earth, Stigmata e Burning Bridges.

No entanto, Johan Oliva acabou deixando a banda e de forma surpreendente quem assumiu os vocais foi uma mulher: Angela Gossow.

A notícia chocou, na época, o mundo do metal. Ninguém acreditava que uma mulher poderia substituir um homem, principalmente em uma banda de Death Metal Melódico. Como ficaria o vocal gutural?

Entretanto, a alemã mostrou personalidade e capacidade para cantar as músicas de seu antecessor. Foi uma surpresa positiva. Uma mudança de conceito musical em vários headbangers. Ela cantava e muito bem. Músicas como Bury me Angel, Stigmata , dentre outras casaram com a voz de Gossow.

Com a ‘frontwoman’, os Arqui-Inimigos lançaram seis álbuns. Todos bons, mas destaques para Wages of Sin e Khaos of Legion.

Em 2014, Gossow anunciou sua saída dos vocais. Segue como empresária. Sua substituta é a canadense Alissa White-Gluz. A pegada segue a mesma e já foram lançados dois discos de inéditas.

O ARCH ENEMY é aquela banda que mesmo com trocas de vocalistas nunca lançou um álbum decepcionante. Todos valem a pena escutar.

A canção que destaco é do tempo de Angela Gossow: Will We rise!

 

 

 

Coréia do Sul

(Por Flávio Diniz)

 

A Coreia do Sul não é somente Gangnam Style. Clipe do artista Psy, assistido mais de três bilhões de vezes no Youtube. O país possui uma das civilizações mais antigas do mundo. Arqueólogos afirmam que a península coreana foi ocupada desde o Paleolítico Inferior, período que iniciou-se há três milhões de anos e se estendeu até duzentos e cinquenta mil anos atrás. Até o ano de 1945, as Coreias do Sul e do Norte eram um único país. Em consequência da segunda guerra mundial o país dividiu-se em dois. O território mais ao sul do país ficou sob influência dos Estados Unidos, ao passo que o território ao norte foi dominado pela União Soviética. Recentemente, a Coreia do Sul vive em conflito e o clima permanece tenso com sua vizinha, comandada por Kim Jong-un.

Em 2018, a Coréia do Sul chegará à sua nona copa do mundo seguida, décima no total. Desde 1982, o país não sabe o que é ficar de fora do torneio. Após uma participação ruim em 2014 no Brasil, quando foram eliminados ainda na fase de grupos, terminando em último colocado do grupo H, com apenas um empate e duas derrotas, os sul-coreanos torcem por dias melhores na grande Rússia. Certamente tendo em mente o inesquecível ano de 2002, quando ao lado do Japão foram os anfitriões da Copa do Mundo e tiveram (até hoje) a melhor campanha de sua história. O país classificou-se em primeiro lugar do grupo D, que tinha Portugal, Estados Unidos e Polônia. Com duas vitórias e um empate, alcançou os sete pontos e posteriormente chegou a uma incrível semifinal, deixando para trás grandes equipes como Itália (oitavas de final) e Espanha (quartas de final). Foi impedida de chegar à final pela Alemanha, que derrotou o país pelo placar de 1×0. Na disputa pelo terceiro lugar contra a Tunísia, os sul-coreanos sofreram sua segunda derrota, dessa vez por 3×2 e se despediram da Copa com um honroso quarto lugar.

Park Ji-Sung é sem dúvidas o maior ídolo da história do país no futebol. Meio-campista, atuou pelo Manchester United, equipe onde o jogador mais se destacou. Foi atleta dos “red devils” por sete anos, disputou mais de duzentas partidas e balançou as redes 27 vezes. Foi lá também onde conquistou a maioria de seus títulos, como campeonato inglês, Liga dos Campeões da Europa, mundial de clubes da FIFA, dentre outros.

O Hard Rock e o Power metal são os estilos mais fortes na Coreia do Sul. Grande parte das bandas que encontramos neste país segue esses estilos. No entanto, há uma variedade significativa de bandas por lá também. Uma das bandas que se destacou para nós é o MAHATMA, de Daejeon, a quinta maior metrópole do país, com mais de um milhão e meio de habitantes e distante a cerca de 140 quilômetros da capital Seul. O estilo executado pela banda é um Thrash Metal rápido, pesado e técnico, com algumas influências de heavy metal. Fundada em 1993, a banda possui três álbuns de estúdio e um single. O último trabalho é o full-length lançado em 2016, intitulado de “New Justice”. A faixa “Deafness” está presente neste álbum e foi a escolhida para apresentarmos aos nossos leitores. Confira abaixo: