Por: (Arte Metal)

O Metalcore é uma tendência e isso não quer dizer exatamente que se trata de música comercial. Afinal, o estilo não anda passando de vento em popa em TV aberta ou tocando nas rádios do país, mas sim atinge um público maior e mais jovem dentro do cenário alternativo.

O No Trauma faz parte dessa cena e possui muita competência no que propõe. Dentro dos elementos do estilo, a banda possui praticamente todos e ainda inclui flertes com outros gêneros (como Groove e Thrash Metal), além de injetar sua própria identidade.

Um dos pontos fortes do quarteto carioca é fugir do piegas, isto é, não incluir os terríveis vocais limpos ‘pop’ em refrãos melosos para tornar sua música ainda mais acessível. Apesar de adotar melodias nas composições, a banda prima pela agressividade e peso em sua sonoridade.

Bem produzido, o disco traz timbres bem escolhidos, com guitarras trabalhadas e uma cozinha que injeta partes bem dosadas de ‘groove’. Com vocais guturais inteligíveis, as letras são cantadas em português e traz temas incentivadores, reflexivos e até de protestos.

Quimera, Massa de Manobra, Algemas do Medo e Viva Forte são algumas das composições que se destacam, mas é bom ressaltar o equilíbrio entre elas. O No Trauma não soa como a mais diferenciada banda dentro do Metal atual, mas sem dúvidas vem pra somar.

Resultado de imagem para No trauma viva forte

Nota: 8,0

Link sobre a banda:

Facebook

Vitor Franceschini

Jornalista graduado, editor do Blog Arte Metal.