Formado originalmente como um projeto solo do vocalista Edu Falaschi, o Almah chega ao seu terceiro CD este ano com o pesado Motion que tem uma sonoridade bem mais agressiva comparado com os primeiros trabalhos e com o som pelo qual Edu normalmente é associado. Para celebrar este evento, um show de lançamento do CD e da tour foi marcado no Manifesto Bar, em São Paulo, no dia 29 de outubro.

Almah

Por volta das 22h, horário que constava nos flyers e ingressos, podia-se ouvir o som sendo passado e uma fila dobrava a esquina do bar demonstrando que, apesar dos acontecimentos recentes no Rock In Rio, muitas pessoas estavam ali para conferir a apresentação. Esse assunto, aliás, foi citado por alguns dos fãs que estavam sendo entrevistados na fila. Com 40 minutos de atraso a casa foi aberta, mas somente pouco após a 1 da manhã é que o show teve início, o que provocou algumas vaias dos presentes em alguns momentos.

Mas toda essa tensão presente se dissipou com a banda adentrando o palco e abrindo a noite com Hypnotized, faixa de abertura do novo CD, seguida de Beyond Tomorrow. Edu agradece aos presentes se dizendo feliz por encontrar o bar lotado e por poder cantar suas músicas. Era perceptível que No Almah sua voz se sai bem melhor e ele se sente bem mais à vontade, ao contrário da apresentação do Rock In Rio. Apesar que, em alguns momentos uma pequena falha ou outra surgia, provavelmente devido aos anos de desgaste no Angra, mas nada que comprometesse a noite.

Almah

Todas as canções foram anunciadas por Edu que demonstrava estar bem mais solto e contava uma história ou fazia algum comentário respondendo a algum grito vindo da plateia e, aproveitou para explicar que o guitarrista Paulo Schroeber não pode estar presente ao show devido a uma recomendação médica de descanso por problemas cardíacos, sendo substituído por Ian, do Dark Avenger.

Para Zombies Dictator foi convidado ao palco o vocalista Victor Cutrale, do Fúria Inc. que participou dessa faixa no álbum, isso deixou a música ainda mais pesada ao vivo e empolgou o público. O clima de descontração da banda e dos fãs rendeu ainda algumas risadas como pouco antes de Days of The New, onde Edu fez piada com o sotaque do guitarrista Marcelo Barbosa, em uma viagem no Japão e depois cutucando artistas que se utilizam de playback em shows pois lá os instrumentos não falham, já que por um breve momento o baixo de Felipe Andreoli sumiu.

Almah

Living and Drifiting empolgou de tal forma que emendaram aquele famoso coro de “olé, olé” que vez ou outra ocorre em shows por aqui. Nisso, já era nítido a felicidade da banda e de Edu que agradeceu mais uma vez o apoio dos fãs presentes e contou que agora estava tendo aulas com um professor de canto gospel e disse que dali pra frente algumas músicas em shows do Almah e talvez do Angra ele cantaria com essas técnicas, fazendo uma pequena demonstração que arrancou aplausos de todos.

Para fechar o set, Torn, do CD Fragile Equality foi escolhida mantendo o bom clima do show e demonstrando que o Almah realmente seja o melhor lugar para Edu, pois ele pode cantar à vontade, sem se forçar, e que a banda tem um bom potencial a explorar.

Setlist:

Hypnotized
Beyond Tomorrow
Children of Lies
Bullets In The Altar
Zombie Dictators
Fragile Equality
Late Night In 85
You’ll Understand
Breathe
Days of The New
Birds of Prey
When And Why
Living In Drifting
King
Trace of Trait
Torn

Clique aqui para ver todas as fotos deste show!

Deixe um comentário