Pain of Salvation – Carioca Club – São Paulo/SP

Quinze meses foi o tempo que levou para que o Pain of Salvation retornasse ao Brasil, após uma bem sucedida passagem por três cidades brasileiras. Dessa vez, a turnê celebrava o álbum Road Salt Two, lançado ao fim do ano passado e, muitos foram ao Carioca Club, em São Paulo, pensando que não seria possível a banda superar a apresentação do ano anterior, que contou com cordas de guitarras estourando, solos no mezanino da casa e o aniversário de Daniel Gildenlöw.

Pontualmente no horário marcado, o som da casa passou a tocar Let The Sunshine In, tema do musical Hair, que serviu de introdução para que Daniel entrasse sozinho no palco, descalço, e fizesse uma interpretação impressionante de “Road Salt”, sendo ovacionado pelo público. Ao som de Road Salt Theme o vocalista apresentou todos os integrantes da banda enquanto eles tomavam seus lugares no palco para, então, iniciar o show com Soflty She Cries.

A reação do público foi um destaque à parte em diversos momentos, como em Diffidentia, que fez com que toda a pista gritasse junto com as guitarras iniciais ,ou cantando junto temas como 1979“e Ashes. Tal reação empolgou mais ainda a banda, que extremamente afiada, parecia brincar no palco executando músicas de uma dificuldade considerável sem problemas, principalmente Daniel, que além de tudo cantava, e o novo guitarrista Ragnar que demonstrou ser também um excelente vocalista cantando Undertow. As quatro primeiras faixas de The Perfect Element, part I foram tocadas na mesma ordem do CD, seguidas por Reconciliation, do mesmo álbum. E se isso podia parecer demasiadamente surpreendente, Daniel surge no mezanino da casa e de lá canta Iter Impius e só volta ao palco para tocar a faixa Stress do primeiro álbum da banda, Entropia, de 1997.

Agradecendo diversas vezes ao longo da apresentação, Daniel teve o público em mãos em todos os momentos, comandando até gritos, separando homens e mulheres e depois todos juntos. Foi, em um momento, brevemente interrompido pelo baixista Gustaf, que disse que aquele era o melhor público de toda a turnê até o momento. Após Beyond The Pale, que já havia sido anunciada pelo site oficial para esse show, a banda sai do palco na pausa para o bis.

Ao retornarem, todos voltam com instrumentos trocados, e o baixista Gustaf diz que se chama Daniel Gildenlöw, e faz as vezes de guitarrista, causando outra surpresa. Daniel surge na bateria e, com Ragnar nos vocais, a banda toca Black Diamond do Kiss em um momento de total descontração. Daniel anunciou e adaptou o famoso bordão do Kiss: “You wanted the second best, you got the second best“. De volta aos instrumentos normais, No Way e Sisters encerram a noite e a banda é muito aplaudida pela plateia.

Apesar de muitos reclamarem de que certas bandas retornam em um curto intervalo ao Brasil, todos aqueles que estiveram no show do ano passado e que esse ano retornaram, saíram do Carioca Club com a certeza de que a banda conseguiu, de forma impecável, superar seu show anterior. Mesmo parecendo impossível, o público foi surpreendidos por uma banda que, mesmo com uma nova formação, se mostrou extremamente entrosada e mais pesada ao vivo. Se há uma certeza sobre esse show, é que ele constará na lista de muitos como um dos (senão o melhor) shows do ano.

Setlist Pain of Salvation:

Let the Sunshine In
Road Salt (apenas Daniel Gildenlöw)
Road Salt Theme
Softly She Cries
Linoleum
Diffidentia
1979
To The Shoreline
Used
In the Flesh
Ashes
Morning on Earth
Reconciliation
Iter Impius
Stress
Undertow (com Ragnar ZSolberg nos vocais)
Beyond the Pale

Bis:

Black Diamond (Cover Kiss)
No Way
Sisters

Clique aqui para ver todas as fotos deste show!

Deixe um comentário