Stryper – Carioca Club – São Paulo/SP

  • Post author:
  • Post published:18 de fevereiro de 2013

A segunda vinda da banda de white metal Stryper ao Brasil teve um gosto extra para os fãs, pois, dessa vez, o grupo veio com sua formação original, ao contrário do ocorrido em 2006. E o domingo viu o Carioca Club, em São Paulo, praticamente lotado de fãs de diversas localidades, já que essa seria a única apresentação em solo brasileiro.

Apesar do atraso de 15 minutos no início da apresentação, o que permitiu que todos os fãs da longa fila que se formou fora da casa pudessem entrar a tempo, a energia dos presentes não diminuiu nem um pouco, ao contrário, o nível de ansiedade só aumentava. E surpreendendo muitos, com To Hell With The Devil, o Stryper inciou sua apresentação. A energia dos fãs foi algo constante durante o show e isso foi visto logo de cara, com a primeira canção cantada de forma tão alta que os vocais de Michael Sweet mal podiam ser ouvidos.

Stryper

As tradicionais cores amarelo e preto marcaram presença nos instrumentos e roupas dos músicos, realçadas pelo belo jogo de luz da apresentação, que permitiu a todos reparar na montagem de lado da bateria de Robert Sweet. Extremamente entrosada e carismática, a banda muitas vezes era surpreendida pelas vozes do público, que em diversos momentos se sobressaia em relação ao som do palco.

O vocalista e guitarrista Michael Sweet interagia bastante com os presentes, perguntando quem já havia visto a banda antes e agradecendo todos. Ele também mencionou que esse era o aniversário de 30 anos do Stryper e demonstrou que sua voz continua afiada, não fazendo feio em canções clássicas, como Rock That Makes Me Roll e em covers, como Breaking The Law. O restante da banda também interagiu bem, inclusive no momento tradicional dos shows o qual Robert deixou a bateria e junto dos demais membros distribuiu bíblias ao público.

Stryper

Para os fãs, o set list foi um presente. Concentrado nos dois primeiros álbuns e no CD de covers, todas as canções foram devidamente acompanhadas por um público que não parou um minuto sequer e que, ao ouvir os primeiros acordes de Soldiers Under Command foi ao delírio, cantando boa parte da música sozinho antes de Michael começar a cantar. No bis, um belo momento com Michael sozinho no palco cantando Honestly com o público e com The Way a banda encerrou a sua apresentação, não deixando o palco antes de fazer uma prece agradecendo a todos.

Independente das crenças de cada um, concordando ou não com a visão da banda, os que foram ao Carioca Club puderam assistir um show intenso e animado com uma bela interação entre artista e público, como nem sempre pode ser visto.

 

Set list:

Intro – Abyss (To Hell With The Devil)
To Hell With the Devil
Sing-Along Song
Loud ‘N’ Clear
Reach Out
Calling On You
Free
More Than A Man
Surrender
Rock That Makes Me Roll
Breaking the Law (Judas Priest cover)
Shout It Out Loud (Kiss cover)
All For One
Heaven and Hell (Black Sabbath cover)
Soldiers Under Command
Bis:
Honestly
The Way