Então é Natal e o Ano Novo já vem e a gente já está sendo massacrado de coisas em nosso redor sobre esse período. 2019 foi um ano, no mínimo, louco, atípico em tantas, mas tantas medidas que chega a ser difícil a gente conseguir linkar os acontecimentos, enumerar as merdas e doideiras que aconteceram, mas aqui, é o nosso duto de relaxamento e diversão e mesmo eu me sentindo, praticamente, obrigado a falar situações chatas em nosso ano, vamos tentar fazer uma retrospectiva mais divertida, falando dos discos que saíram, alguns shows que aconteceram e o que podemos esperar de 2020.

2019 pode ser marcado por um ano que tivemos ótimos shows no país, tivemos a estréia da Horror Expo no país, 3 dias de muito terror, ficou sabendo não?? Então, dá uma lida aqui, pois estivemos lá na Horror Expo pra ter essa experiência. E tivemos outros eventos muito mais, tivemos o DreamFestival em São Paulo, esse foi ano de que também, Rock In Rio e eu estava lá, no dia 04 de Outubro, vendo o Metal Nacional ser celebrado, vendo bandas parando, eu vou comentar mais sobre…

Mas vamos começar com um clássico de final de ano e qual seria esse clássico?? Qual?? Qual?? Aquela listinha MAROTA de melhores lançamentos de 2019 e já vou avisar, alguns não vão curtir, outros vão falar que eu estou maluco(o que é bem possível, mas até então…), ou que eu esqueci A, B ou C, caso tenha esquecido algum, deixa aí nos comentários, beleza, mas vamos lá!!!

TOP 10 2019 por Augusto Hunter.

1 – FleshGod Apocalypse – Veleno
2 – Dead Fish – Ponto Cego
3 – Wilderun – Veil Of Imagination
4 – Blood Incantation – Hidden History Of The Human Race
5 – Slipknot – We Are Not Your Kind
6 – Devin Townsend – Empath
7 – In Flames – I, The Mask
8 – Overkill – The Wings Of War
9 – Abbath – Outstrider
10 – Rotting Christ – The Heretics
MENÇÃO HONROSA: Borknagar – True North

Esses discos foram os que mais me tocaram nesse ano, vale lembrar que, o Blood Incantation e o Wilderun foram adições tardias, tirando o lugar de outros dois belos lançamentos desse ano, o The Great War do Sabaton e o Distance Over Time do Dream Theater, que lançaram belos discos esse ano, mas esses dois que coloquei no lugar, uau, ouçam todos eles e o tio aqui foi benevolente com vocês, colocando em cada disco um linkzinho pro material, só clicar e ser feliz. Mas vamos seguir…

2019, um ano no qual tivemos grandes shows pelo país, tivemos um festival no início do ano que contou com o Overkill e Tankard em São Paulo, o Brasil recebeu pela primeira vez, a lenda do Trap, oriundo do Hardcore e Death Metal, Ghostemane, que levou várias cidades a loucura, lotando as casas por onde ele passou, tivemos outros diversos eventos, esse ano tivemos o Stryper e Narnia, que passaram pelo Circo Voador e fizeram um showzaço e tivemos, lógico, o Rock In Rio.

E esse Rock In Rio, amigos, que dia hein!! Ter visto o Nervosa abrindo os trabalhos do Palco Sunset aquele dia, U A U, foi demais, que show as meninas fizeram, o Claustrofobia subiu logo depois e também mestrou, dividindo o palco com o Torture Squad, que fez uma apresentasção muito boa e consistente também e a junção das duas com o Chuck Billy do Testament foi a cereja no bolo da festa, foi lindo. E em outros palcos ainda tivemos o Ágona e o BK-81 no Espaço Favela, Sioux66 na Rock District e no palco Supernova tivemos Armored Dawn, Noturnall, Eminence, Jimmy & The Rats e Fire Strike, ah, sem contar que o grande Sepultura começou os trabalhos do Palco Mundo né, foi lindo. Vimos esse ano o Slayer encerrando a sua carreira, em shows no Rio(no Rock In Rio) e em São Paulo, a reserva moral do Thrash Metal encerrou suas atividades.

E pra fechar essa matéria, tivemos também nesse ano, a vinda do Dream Theater, em uma tour sensacional, tocando simplesmente o Metropolis Pt. II: Scenes From a Memory na íntegra e ainda ganhou, no Brasil, um festival a ser chamado de seu, o DreamFestival, que ainda contou com o Sabaton, Killswitch Engage, Rhapsody e os Cariocas do Reckoning Hour, ou seja, pra fechar 2019 bem ainda teve esse belo evento, mas infelizmente nem tudo são flores…

O ano de 2019 é marcado por uma ascensão feia e, pra mim, estranha de racismo e diversos casos horrorosos, que mancham esse ano na história pra sempre, mas como prometi não irei abordar isso, mas fecharei o texto relembrando, em meu ponto de vista, a principal perda que tivemos, pois o grande vocalista e maestro André Matos nos deixou, no dia 08 de junho, vítima de uma parada Cardio Respiratória e nos deixou, levando com ele uma voz única e diversos sonhos de uma possível reunião com o Angra, que, parece que estaria para começar.

Pessoal, eu deixo aqui meus desejos de um Feliz Natal e um 2020 de muito sucesso a todos vocês, queridos leitores, aquele abraço e até mais.

Adeus Maestro, obrigado por tudo, mais uma vez.

Augusto Hunter

TI, Headbanger e Redator desse estimado Portal.